terça-feira, 22 de setembro de 2009

O "meu" Sítio se desfazendo... sniff...

Meu Deus!!! Mais um pouco e meu blog vai parecer seção de obituário!!! Mas não tenho como deixar de citar aqui o falecimento da Dirce Migliaccio, afinal, ela foi a "Emília" da minha infância.

A leitura não era um hábito na minha família, portanto, conheci parte da obra de Monteiro Lobato assistindo "O sítio do pica-pau amarelo", na tv. Era muito criança, mas amava a Emília, tanto, que até ganhei uma boneca Emília, de pano e cabecinha de vinil, com cabelos de lã, com a qual brinquei durante anos... ouso dizer até que foi um dos brinquedos mais importantes da minha infância. Nada mais natural para uma menina, brincar com sua boneca favorita, não fosse pelo fato de eu brincar só com aquela, pq eu gostava muito da personagem Emília. Sim. Até tive oportunidade de ganhar outras bonecas lindas e caras para a época como a Mãezinha ou a Beijoca, mas eu nunca gostei de brincar com bonecas - só com a Emília.

A Emília me fazia viajar, gostava das estripulias que aprontava, do seu jeito irreverente e tão bem interpretado por essa atriz que se foi hoje, se encontrar com o "meu" Visconde de Sabugosa (André Valli) e a "minha" dona Benta (Zilca Salaberry). É... o "meu" Sítio está se desfazendo... sniff...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Meus ipês floridos

Quando eu era criança meu pai ouvia muitas músicas sertanejas, uma das que mais lembro é "Meu ipê florido", interpretada por Tião Carreiro e Pardinho. Na época não fazia o menor sentido para mim, na verdade eu nem sabia o que era um ipê e fazia menos sentido ao prestar atenção à letra da música que diz sobre a vida e um presidiário.

Anos depois passei a conhecer melhor o que era um ipê e suas flores maravilhosas. Pouca gente sabe, mas enquanto o pau-brasil deu seu nome ao nosso imenso País e foi considerada a árvore nacional, a flor do ipê passou a ser considerada símbolo do Brasil. E nem é difícil imaginar o por quê, quando a árvore está florida suas cores são vibrantes, intensas: as flores amarelas, as roxinhas e até as brancas tem seu charme tão singelo.

No bairro onde moro há vários ipês, entre paineiras com flores roxinhas e rosinhas, que se revezam nas floradas. Eu as admiro muito, pois conseguir viver em uma cidade tão poluída e ainda emprestar sua mágica beleza, me encanta. Pena que dura tão pouco tempo, poucos dias, se duvidar menos de uma semana. Um dia vc vê a arvore com seus ganhos peladinhos, no outro totalmente repleta de flores e, dias depois, as flores caem ao pé da árvore.

Hoje é dia da árvore, amanhã começa a estação das flores e neste instante deixo aqui minha homenagem aos "meus ipês floridos". Tomara que as pessoas começem a reparar no colorido que invade nossa cinzenta São Paulo.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Pra mim ele não é gay

Lembrar de Patrick Swayze também me trouxe outras lembranças dos anos 80, do Dirty Dancing e td mais. Hj, almoçando com a Débora, comentamos dos nossos gostos musicais, já que o Pet Shop Boys irá fazer shows por aqui... e lembramos do George Michael... gente, que homem lindo!

Td bem que ele é gay - e deixo aqui bem claro que não tenho nada contra a opção sexual de cada um -, gosta de homem, mas e daí, qual é a diferença que isso faz na minha vida? Ele é casado comigo? Não. Ele paga minhas contas? Não. Ele é um colírio para os meus olhos? Sim. Então... dane-se... pra mim ele não é gay e pronto.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Adeus Patrick

Que ano!!! Michael, Patrick... os astros estão partindo... "desta pra uma melhor".

Não estou aqui para comparar o talento dessas figuras, mas para expressar que foram pessoas que, de alguma forma, marcaram minha vida. Enquanto MJ me ensinava os primeiros passos de dança, nos 80, Patrick Swayze, no início dos 90, estrelou "Ghost", o primeiro filme romântico, que vi no cinema, ao lado de um namorado. Quer mais?

Óbvio que isso me marcou. Por isso, hoje - acho que já era hoje -, quando abri os olhos, já decidida a parar de insistir com as minhas pálpebras que conseguiria assistir ao CQC e desligar a tv, vi quem? Boris Casoy anunciando a morte do Patrick... até dei uma despertada. Que chato, mais um pra eu desejar "rest in peace".

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Humpf!!! Tempinho...

E hoje continua a chuvarada!!! aí... será que vou mofar de novo?

Ontem choveu em um único dia, mais do que previsto para todo o mês de setembro. Daí vem o pacote: trânsito, alagamentos, enchentes, demoronamentos, gente morta, lixo por toda parte, assaltos nas marginais, buraqueira no asfalto...

Mas, apesar de tudo, sou teimosa e otimista. Acredito que um dia as pessoas serão mais cidadãs e não jogarão uma só embalagem de bala no meio da rua, quem dirá garrafas pets para colaborar em puluir rios e entupir boeiros. Acredito que um dia terão homens no poder para colocar em prática políticas públicas condizentes com a estrutura de uma megalopole, com transporte eficiente e que, ao invés de estimular o "endividamento" da população que compra carro em 84 meses - tem gente que fica p. da vida comigo quando falo isso - vai colocar ônibus decentes e em quantidade suficiente para atender a população.

Enquanto isso não acontece, vamos nós, paulistanos enfrentar os dias de caos provocado pelas chuvas: alagamento, telefone mudo, internet inexistente, enchentes, buraqueira no asfalto...